electric kiss

Eu sempre gostei de conhecer pessoas pelo bem de conhecer mesmo, sabem? Conversar sobre seus medos, seus desejos, experiências ruins e/ou problemas mesmo que eu saiba que não possa fazer muito pra ajudar, mas entender um pouco mais da essência da pessoa que você está dividindo o espaço, mas a cada dia que passa vejo como todos andam escondendo isso e sentem medo.

O comum, hoje em dia, é ser fechado, é não se permitir, é calcular movimentos que deveriam ser naturais: seja demorar pra responder uma mensagem pra não estar ‘disponível’ ou ‘afim’ demais, seja querer chamar pra sair, mas esperar o convite porque já chamou duas vezes, seja só querer convidar aquela pessoa pra um café pra quem sabe saber se tem como existir uma amizade e o medo dela interpretar como algo mais, ou o simples fato de inventarmos desculpas e motivos pra não ver alguém que você não quer mais se envolver em vez de ser sincero e só falar o que pensa.

Não existe mais diálogo, não existem mais conversas francas, não existe um ‘vem aqui, deixa eu ser bem sincera contigo’ a não ser que seja pra criticar. A pior parte? É que acho que todos sentimos essa deficiência de um diálogo verdadeiro com os outros, todos estamos perdidos sem saber o que a outra pessoa está realmente pensando porque ninguém tem coragem de falar, ninguém tem coragem de ser o primeiro a dar o primeiro passo porque antes, isso seria um ato de bravura, hoje seria covardisse. Estou inclusa nisso, todos estamos, mesmo que não o tempo todo e junto com vocês, eu me pergunto, quando isso vai mudar? Acho que vou ter que dar o primeiro passo…

Foto via: Christine Leight

Share: