filmes

Notei, pra minha felicidade, que os últimos três filmes bons que assisti foram protagonizados por mulheres, e um deles dirigido, e vou falar um pouco deles pra vocês. Começando que pra nossa felicidade, as três mulheres são pessoas fortes que sofrem, mas querem mudar sua vida cada uma pelo seu próprio motivo.

Em Wild a protagonista resolve fazer uma caminhada de 1000km sozinha depois da morte da mãe e de passar por sérios problemas pra superar isso. Em Girlhood, junto com as três amigas, a protagonista Vic passa por muitos problemas com a família e sofre na mão da violência do irmão que se acha no direito de bater nela por ser o “homem da casa” enquanto em Mad Max, a Furiosa, precisa salvar algumas mulheres, chamadas de parideiras, da mão do rei e estuprador. É notável que nenhuma das protagonistas é perfeita passando por problemas com drogas, violência ou simplesmente não tendo um braço, mas todas são belas do seu próprio jeito e encontram sua força no que as torna mais fracas ou vulneráveis aos olhos da maioria.

Outra parte interessante é que elas são de longe as protagonistas do próprio filme e e não precisam de homens pra fazer um papel mais forte. Nenhuma delas tem um protagonista masculino como foco principal da sua vida, da sua história ou da sinópse do filme. Mas os homens não deixam de aparecer, na realidade, cada um tem um papel muito importante na vida das mulheres, mas não relevante pra nossa história em si, porém, é uma pena que não façam o mesmo quando as protagonistas femininas são coadjuvantes no filme geralmente colocando a mulher em um estereótipo ridículo.

Assistindo o filme eu pude me identificar com cada uma delas de maneiras muito diferentes e também pude ver fases da minha vida que já passei e que me imagino passando futuramente. É inspirador assistir mulheres que precisam se encontrar, que precisam se salvar e que acima de tudo, não precisam e não contam a ajuda de ninguém porque sejamos sinceras, é como a nossa realidade. Nós não temos homem ou qualquer outra pessoa pra nos ajudar, nós sofremos sozinhas e nós temos que levantar sozinhas e estou falando dos seres humanos no geral.

Por muitos anos, a maioria dos filmes que eu assistia era com protagonistas masculinos ou um elenco balanceado. Poucos eram os momentos que tinhamos mulheres retratadas em diversas camadas em um mesmo filme, e menor ainda era a quantidade de histórias dirigidas por homens sobre personagens femininas. A grande maioria das histórias eram sobre mulheres vulneráveis, perdidas ou simplesmente deprimidas e problemáticas. Hoje em dia, a coisa mudou, nos mostrando como seres fortes, com opinião e de atitudes que nos movem para um resultado final. Temos um longo caminho pela frente? E como temos, mas me abre um sorriso ver que posso me identificar e tenho como exemplos diversas mulheres fortes na minha filmografia.

Informações:

Livre (Wild), 2014, 115min. Diretor: Jean-Marc Vallé. Elenco: Reese Whiterspoon, Laura Dern e Gaby Hoffmann – Trailer
Girlhood (Garotas), 2014, 113min. Diretor: Céline Sciamma. Elenco: Karidja Toulé, Assa Sylla e Lindsay Karamoh – Trailer
Mad Max: Estrada da Fúria (Mad Max: Fury Road), 2015, 120min. Diretor: George Miller. Elenco: Charlize Theron, Tom Hardy e Nicholas Hoult – Trailer

Share: