Olhando os meus filmes preferidos, acabei relembrando de algumas mulheres que me fizeram me sentir menos sozinha e um pouco mais compreendida pelo mundo ao meu redor. Infelizmente, tive que escolher cinco, mas tem muitas outras que também me representam um pouquinho.

Ainda vem mais listas por aí, mas se alguém tiver alguma dica de algum tema relacionado a séries, filmes, músicas, livros ou qualquer coisa, podem deixar as dicas no comentários que eu vou adorar compartilhar com vocês. 🙂

Clementine (Brilho Eterno de uma Mente Sem Lembranças)

“Look man, I’m telling you right off the bat I’m high maintenance. So I’m not gonna tip-toe around your marriage or whatever it is ya got goin’ on there. If you wanna be with me, you’re with me”

Eu me identifiquei com a personalidade da Clementine desde a primeira vez que assisti o filme, quando era mais nova. Confusa, com uma personalidade forte, imprevisível, mas quando você passa pela parede na qual ela se esconde, acaba encontrando uma menina insegura e assustada.

Celine (Antes do Amanhecer/Pôr-do-Sol)

“Memory is a wonderful thing if you don’t have to deal with the past.”

Quando assisti esse filme, com uns 15 anos, me vi em Celine desde o início. Hoje em dia, acho que já somos pessoas bastante diferentes, mas a essência da personagem ainda ficou comigo. Acredito que ela seja mais parecida quando eu não tinha ‘vivido’ um pouco e aprendido algumas coisas com a vida. Alguém com muitos sonhos, inteligente, mas que não sabe lidar com a vida em nenhum aspecto e no final, a vê passando nos frente dela e somente pensando em como poderia ter sido.

Bridget Jones (O Diário de Bridget Jones/Bridget Jones: No Limite da Razão)

“It is a truth universally acknowledged that when one part of your life starts going okay, another falls spectacularly to pieces.”

Esso foi uma das lições mais valiosas que a Bridget me ensinou e o pior que é muito verdade. Além de insegura, com problemas sérios de autoestima e escolhendo vodka e Chaka Khan (quem nunca?). Assim como eu, ela ainda sonhava em encontrar alguém certo pra ela e ter uma vida bonitinha e feliz, mas teve que passar por muitas experiências ruins até achar a certa.

Jenny Mellor (Educação)

“I feel old. But not very wise.”

Jenny consegue ser a mistura de uma menina ambiciosa, mas imatura demais pra jogar tudo pro alto pra viver um amor que nunca daria certo. Querendo ser racional, mas sempre agindo com o emocional, essa indecisão de não saber a forma de como agir, na vida, é algo que eu me identifico até hoje. Além do mais, alguém realmente sabe se é melhor ouvir a cabeça ou o coração?

Anna (Loucamente Apaixonados)

“What have you been doing?” “Waiting for you.”

Ultimamente, essa é personagem que mais me identifico exatamente porque estamos vivendo a mesma coisa. Relacionamentos a distância nunca são fáceis e é incrível a forma que a Anna lida com isso. Nessas horas sinto como se ela e eu fossemos quase a mesma pessoa.

Existem outros personagens que eu me identifico bastante também, mas quis fugir do cliché e esperado, mesmo tendo colocado Bridget Jones e Clementine, pra focar em outras personagens que são igualmente especiais. Fiquei curiosa pra saber com quem vocês se identificam, sinta-se a vontade para citar nos comentários se temos alguma personagem em comum ou quem são suas irmãs perdidas no cinema. 🙂

Share: