abramovic-

Marina Abramovic é uma artista sérvia que vem trabalhando desde a década de 70 e tem como base do seu trabalho a relação entre a audiência e o performer, e sobre os limites do corpo e da mente. Vocês podem reconhecê-la daquele vídeo que percorreu pela internet da “artista encontrando o amado depois de anos” e os dois se olhando sem falar nada. Atualmente, a Marina está com a exposição Terra Comunal que é um mini resumo dos seus trabalhos mais marcantes, além dos objetos usado por ela em diversas performances e alguns vídeos falando da história da artista.

Mas o que eu vim falar hoje não é da exposição, que ainda não tive tempo de conferir, mas do Método que ela ofereceu para inscrição no site. No site diz que o método é “uma oportunidade de ficar em silêncio e sintonia com o momento presente”. Durante duas horas, você fica longe do mundo, sem ouvir nada, em três posições: em pé, sentado e deitado além de andar em câmera lenta pra ficar consigo mesmo e encontrar um momento de calma.

Fiz o método umas duas semanas atrás, acordei cedo em um sábado e fui direto pra lá. Logo no início você deixa tudo em um armário, não pode levar celular nem nada, e te fazem assistir um vídeo de introdução, fazem exercícios pra aquecer e te dão um fone que te impossibilita de escutar qualquer coisa. Nas próximas duas horas é com você: pode pensar na morte da bezerra, pode olhar as pessoas, pode dormir, enfim, mas eu peguei esse momento pra fazer o que foi pedido: ter algo introspectivo e tirar todas as energias negativas e estresse do meu corpo e da minha mente. Confesso que não fico sem celular nem uma hora por dia, então, ficar duas horas sem nem pensar naquilo, mas pensar em mim como um todo, no que eu mostro pro mundo, e depois desapegar dos pensamentos, desapegar das energias negativas e respirar fundo foi renovador e uma experiência de outro mundo. Não deveria ser tão difícil fazer isso, né? Mas é. E eu saí de lá cansada, mas de uma forma boa, de tanta energia pesada que saiu de mim, sai de lá renovada, inspirada e feliz. Se pudesse, recomendaria a todos esse método, mas as inscrições se acabaram quase que na mesma hora que abriram. Porém, tentem achar essa paz momentânea diariamente, eu estou tentando, porque faz toda a diferença. No mais, quem for de São Paulo, não deixem de visitar a exposição com os trabalhos da Marina que são fenomenais e pura fonte de inspiração.

Terra Comunal
10 de março – 10 de maio
Sesc Pompéia – São Paulo
Grátis

Share: