williameggleston

Parei pra pensar e eu já sabia, mas tive certeza que eu sou uma pessoa que gosta de estar fazendo coisas. O tempo inteiro coisas. Um dos meus maiores medos é ser aquele tipo de pessoa que a vida se resume a trabalho e nada demais porque está sempre muito cansada pra fazer as coisas. Que trabalha o dia inteiro com algo que não gosta muito (e eu gosto do que faço) e que de noite vê uma série, porém no outro dia repete isso e fica vivendo para férias ou finais de semana. Eu não quero sentir que minha vida inteira sejam dias em preto e branco com dias coloridos nos finais de semana e férias. Também acredito que quando você entra nesse limbo é muito difícil sair, principalmente pela preguiça, e por isso eu tento me ocupar.

Quando me mudei pra São Paulo eu fazia uma pós graduação então eu não tinha tempo pra fazer outra coisa, e isso já estava de bom tamanho, porque já tinha duas responsabilidades: meu emprego e meu estudo, além de morar sem meus pais. Quando entreguei meu artigo na pós (e quase formada porque preciso pagar uma matéria) fiquei pensando no “E agora?”. Essa cidade é tão grande, tão cheia de coisas que eu vou ficar só trabalhando e indo pra botecos? Saindo pra lugares legais, mas que no final não me acrescentam nada ou raramente vão me inspirar? Nada contra quem se sente satisfeito com isso, mas é que não sou eu, sabe? Eu gosto de estar aprendendo algo. Então nos seis meses que fiquei parada pude decidir que queria fazer algumas coisas: aprender a cozinhar, aula de pintura, quem sabe aprender um novo idioma (francês ou alemão?), estudar assuntos que me interessam, fazer de algumas coisas que me interessam ou quem sabe um hobby novo. Esse ano consegui fazer um curso de três meses de Culinária para Iniciantes na Nicolau Rosa e gostei muito. Não acho que aprendi tanto assim porque já cozinhava em casa, que aliás voltei a fazer com frequência, mas eram quintas-feiras que eu tinha um compromisso que gostava fazendo receitas gostosas e fáceis. Conheci pessoas novas e me diverti muito. Fiz um curso mega rápido de bordado, mas confesso que preciso comprar os materiais pra continuar em casa. Atualmente estou fazendo um curso semestral no MIS de História da Arte, e pretendo fazer o outro módulo ano que vem. Cada terça-feira que volto pra casa sinto que aprendi algo novo e me sinto muito inspirada. Olho pra trás esse ano e já me sinto um pouco mais contemplada. Existe tanta coisa que essa cidade pode te oferecer, muitas com preços acessíveis, pra você crescer ou simplesmente relaxar no fim do dia além do básico Netflix – boteco –  cinema – restaurante.

Pretendo fazer outros cursos tanto na minha área como fora dela. Sei que nem 1/3 dos cursos que quero fazer podem não acontecer por dinheiro, tempo e muitos fatores, mas o importante é não ficar parada. É exercitar a mente e acima de tudo, me sentir útil e feliz ao fim do dia. São minhas terapias. Cada um com as suas né? 🙂

Imagem: <a href=”https://www.flickr.com/photos/redbitchmyst/16754734743/”>Flavia Zett</a>

Share: