Hoje em dia ter um blog é algo que faço por amor, pra dividir um pouco da minha vida com outras pessoas, mas principalmente pra registrar momentos da minha vida. Tenho um lugar que escrevo meus pensamentos e angustias, mas são coisas diferentes. De todas as vezes que abandonei isso aqui percebi como senti falta e como períodos importantes da minha vida, ou que pensava que fossem, foram perdidos por falta de registro já que minha memória não é tão boa assim. Apesar desse cantinho não ser o que queria que ele fosse – pouco atualizado, com outras coisas que gostaria e ainda vou falar – ele ainda é o meu espaço pessoal na internet. Toda vez que alguma coisa muda na minha vida é pra cá que venho compartilhar porque poucas pessoas lêem e isso o deixa fora da roda de mídias sociais tóxicas que é o instagram, facebook e infelizmente, o twitter, e é por isso que vim aqui falar como as coisas mudaram completamente.

Dois meses atrás estava a pessoa mais insegura do mundo. Ansiosa com tudo que vocês puderam ler mesclando dias bons com ruins ao mesmo tempo que tentava não surtar. Hoje? Hoje eu estou exausta novamente, mas um exausta feliz, de estar ocupada e de estar fazendo coisas, mas todas coisas novas mais próximas de onde e quem eu quero ser. Na mesma semana, uma semana abençoada posso dizer, consegui um emprego novo, me matriculei no curso que queria, fechei meu primeiro projeto grande como arquiteta e decidimos mudar de apartamento. Algumas coisas aconteceram rápido, como o emprego e o curso que já começariam na semana seguinte, e o projeto que foi preciso fazer um contrato e já começar a projetar (atualmente já tiramos todas as paredes!) enquanto outros demoraram um pouquinho mais, como aceitarem nossa proposta no apartamento novo. No sábado retrasado, saí do trabalho, arrumei muita coisa da casa e minha para mudança, tomei um banho, trabalhei em casa e depois pude finalmente relaxar, e foi muito estranho, mas um estranho bom, ver como minha rotina mudou. No sábado passado, saí correndo do trabalho, coloquei uma roupa confortável e começamos a mudança oficial. Se antigamente tinha sábados livres hoje eles são alguns dos dias mais corridos e me sinto bem quando finalizo dias assim. Hoje estou escrevendo isso do apartamento novo, em meio a algumas caixas mas feliz no meu novo lar.

Me sinto cansada, mas minha energia está tão alta, como acredito que não estivesse em anos, que às vezes preciso me policiar pra dormir (e confesso que não tem dado certo porque continuo dormindo muito pouco) com ideias passando na minha cabeça. Era a mudança para o apartamento novo, se fizemos todo possível para gastarmos o mínimo de dinheiro e não termos muita surpresa; a rotina do emprego novo agora que as coisas começaram a correr lá dentro; a minha nova fase profissional com este curso e o que planejo fazer com esse aprendizado depois; o projeto que estou criando; textos que quero escrever aqui, pro Valkirias e como posso produzi-los aos poucos nos curtos espaços que tenho; textos que quero escrever sobre arquitetura pra criar uma plataforma de conhecimento acessível sobre o assunto; o que preciso fazer pra chegar no próximo passo do meu sonho… etc. É muita coisa. É muita ideia, é muito projeto, muito pouco tempo, mas é um sentimento de estar viva que não lembrava nem como era. Espero que ele fique, que ele não vá embora tão cedo e que o use da melhor forma para ser a melhor versão que posso ser. Dias que consigo dormir pensando que “hoje eu caminhei pra mais próxima do que quero ser” mesmo que não tenha acontecido algo específico ou tão grande são dias bons. Dias bons merecem ser celebrados e guardados pra memória.

Imagem: Studio by Leland Foster

Share: