Em outubro do ano passado comecei essa categoria com a intenção de se tornar recorrente, mas infelizmente, por ter esquecido mesmo acabou tendo só um post. Até agora. Naquela época o blog ainda andava as traças e por mais que não atualize tanto quanto gostaria aos poucos ele vai voltando a uma atividade mais frequente. Meus planos são posts semanais pra fazer disso aqui um registro da minha vida mesmo. Espero conseguir chegar nessa meta no futuro e aí teremos categorias como essa mais frequentemente. Enfim, se passou muito tempo de lá pra cá e eu já consumi muita coisa por isso será impossível falar tudo, mas vamos aos que tenho consumido ultimamente ou que me marcaram de alguma forma:

#Séries: No último post comentei que queria ver American Gods antes do ano acabar. Se eu vi? Não. Na verdade, até esqueci que a série existia porque assisti tanta coisa boa que me viciou de uma forma tão extensa e não sobrou muito tempo pra ir caçar séries novas na minha pilha de “pra assistir”. Posso definir meu ano em termos de série como Buffy. Tudo se resume a Buffy e o que essa série me fez sentir. Fazia muito, mas muito tempo que não me apaixonava perdidamente por uma série e um elenco. Não tinha assistido mais do que alguns episódios na época que passava no canal a cabo mas não entendia o propósito da série até ver várias amigas comentando como tinha muito mais camada do que aparentava. Um dia me dei por vencida e fui assistir. Devorei duas temporadas de uma vez só e me encontrei completamente tomada por esse mundo. Atualmente estou na terceira temporada, porque optei em ir assistindo aos poucos mesmo, e só de pensar que já cheguei na metade da série fico triste e ansiosa em lembrar que um dia vai acabar. Quando isso acontecer, vai ter post sim de tudo que Buffy tem significado pra mim. Além disso, acho que finalmente me rendi a The Good Place e foi uma surpresa muito melhor do que imaginava, inclusive saudosa e ansiosa pela terceira temporada. Estou quase em dia com Grace & Frankie que pra mim melhora a cada episódio, além de ser uma série que deixa meu coração quentinho. Outra nova descoberta do Netflix é Nailed It! O melhor programa para você assistir antes de dormir porque é leve e garante boas risadas.

#Filmes: Posso falar felizmente que pra cada filme ruim que vi esse ano vi pelo menos três medianos e um muito bom então acho que já estou no lucro. Ou estou aprendendo a escolher melhor o que vai realmente me agradar. Semana passada assisti novamente La La Land e pela primeira vez posso falar que: o filme é ótimo. Na época que assisti estava odiando a vida, bem amarga então ver aquele musical (amo!) sobre amor, ambição, sonhos, com cores fortes e bonitas me deixou pior ainda. Eu odiei, daí veio toda aquela babassão de ovo pelo Oscar e só me fez pegar ranço, mas depois que essa febre passou e eu pude ver com mais atenção, consegui mudar meu olhar completamente. Inclusive, posso falar que era exatamente o tipo de filme que estava precisando assistir. Outros filmes que recomendo muito e vi atualmente: Mustang, Ocean’s 8, Upstream Color, The Doom Generation e A Quiet Place. Alguns que assisti e odiei demais: Lolita (problemático ao extremo, por mim, nem teria sido feito) e duas comédias da Netflix: Dude e Um Plano Quase Imperfeito. Minha lista teria sido ótima sem esses três títulos.

#Livros: Hoje terminei Harry Potter e o Enigma do Príncipe. Desde o ano passado estou relendo HP, algo que não fazia a dez anos, e tem sido uma experiência super interessante olhar toda essa história com outros olhos. Minha opinião mudou sobre muitos personagens, mas algo que continua igual é que Hermione ainda é a personagem mais inteligente e maravilhosa de toda saga. Intercalando com HP, tenho lido outros livros de ficção. Comecei a ler Call Me By Your Name hoje e já tô ansiosa pros sentimentos que esse livro deve me trazer. Li The Interestings, que estava na lista de livros que queria ler esse ano, e amei. Inclusive, quero fazer um post sobre ele logo logo. Também li To The Lighthouse da Virginia Wolf, e como foi meu segundo livro dela, e talvez um dos mais difíceis, não senti que aproveitei a leitura como deveria ter aproveitado. Li rápido demais pra um clube do livro e acho que vou precisar reler novamente num futuro próximo. Em compensação, li um livro bem curtinho de poesias que é maravilhoso, chamado Sea of Strangers da Lang Leav. E por último, mas não menos importante, li The Romanov Sisters: The Lost Lives of the Daughters of Nicholas and Alexandra, um livro triste, mas muito interessante sobre as irmãs Romanov. Inclusive, me fez querer entrar mais ainda na literatura russa, mesmo esse sendo um livro histórico, e descobrir mais da cultura. Além de ter me feito descobrir que literatura histórica é algo que gosto e perceber que além dos eventos históricos americanos, praticamente não sei nada sobre a história dos outros países e está na hora de mudar isso.

#Podcasts: Decidi que pra mim é mais fácil acompanhar poucos, mas bons podcasts e aí quando consigo ouvir todos que ando atrasada, começo outro. Atualmente estou ficando em dia com And That’s Why We Drink, um podcast que fala sobre serial killers e forças sobrenaturais, impossível de não amar. Black Widow que é um podcast sexual, uma história erótica realmente muito, muito boa. Não lembro o que me fez baixá-lo, mas viciei de início e nunca tinha escutado algo do tipo. Recomendo fortemente. Ele é bem curtinho e tem duas temporadas. Continuo viciada em Appoitment Television e na terceira temporada de Alice Isn’t Dead, já tinha falado das duas primeiras no post passado. Minha nova descoberta é o Note to Self que é um podcast que analisa o comportamento humano em vários tópicos, seja quantas fotos você posta no facebook, se apps de relacionamento estão matando o romance e outras questões muito interessantes. Também comecei a ouvir o Self Care Podcast, mas honestamente, não gostei e olha que é muito difícil desistir de alguma coisa. Infelizmente, todos esses são em inglês, mas estou acompanhando dois podcasts brasileiros que gosto demais: o famoso Mamilos e o maravilhoso Cinema Na Varanda.

De quebra, vou aproveitar e fazer um merchan de textos meus que saíram nesses últimos tempos por aí: no Valkirias falei sobre A Invisibilidade Lésbica no Cinema e na minha newsletter consegui duas edições em menos de um mês: uma especial com a Isa e a Sofia sobre tarô  e uma sobre aquele sentimento da sua cidade natal não ser mais sua. Por enquanto é só, mas se tem algo que amo é dividir o que ando consumindo e saber o que vocês consomem ou se tem dicas pra mim. Recomendações são sempre bem vindas. Isso vem de alguém que salva todas as possíveis listas de filmes, livros, séries de melhores do ano de todos os sites que aparecem na frente então pode vir com as recomendações e se você tem opinião sobre um desses, vou adorar saber o que vocês pensam.

Imagem: Kelsey Garrity Riley

Share: