Passo muito tempo na internet e qualquer pessoa que me conhece sabe disso. Seja lendo blogs, tweets, newsletter, meu feed, entre outros é unânime o tipo de conteúdo que gosto de consumir: sugestões. Eu amo encher minha lista de livros, filmes, séries, podcasts, entre outros de muitas opções daquelas que você sabe que se passar o resto da vida assistindo tudo que está na sua lista ainda assim vai morrer sem ter terminado. É muito gostoso apresentar algo pra alguém e receber uma dica de algo que estão vendo e amando ou só que acham que você vai gostar. Então, decidi que vou fazer isso aqui também. Como o blog tá parado e não faço esse tipo de post tem uns bons anos vou dar um apanhado geral do que tenho consumido nos últimos tempos e que vale a recomendação (ou o alerta de pularem fora) mais brevemente.

#Séries: É tanta coisa boa que a minha lista de séries só não barra a de filmes. Esse ano deixei qualquer coisa que assistia por obrigação de lado e me joguei nas séries que realmente queria ver. Continuei a meta de assistir Friends desde o início, e atualmente estou na sexta temporada, assim como continuo re assistindo The O.C e já tô finalizando a terceira temporada. Aliás, não lembrava como eram imensas as temporadas alguns anos atrás, né? Hoje em dia uma série com 25 episódios me deixa cansada só de pensar. Junto com essas séries terminei duas das temporadas mais amadas esse ano, na minha humilde opinião: a segunda de Master of None e The Handmaid’s Tale. Vale a recomendação de Big Little Lies que também assisti esse ano e sigo apaixonada. Continuo assistindo Steven Universe e comecei a assistir Grace and Frankie que sigo amando e me achando a própria Grace. American Horror Story: Cult começou e tá melhor do que imaginava que poderia estar e Broad City voltou, mas dos dois episódios que vi nenhum deles me pegou tanto. Espero que melhore. Minhas próximas séries, acredito, devem ser Jessica Jones (atrasada, será?) e Insecure. Quero muito ver American Gods antes do ano acabar também.

#Filmes: Não sei nem por onde começar a falar de filmes. Tem tanto filme bom saindo que fico até perdida, mas ainda bem que mantenho controle pelo Letterboxd e também pelo Twitter como vocês podem ver aí em cima. O melhor filme do ano, até agora, pra mim é mother!, mas A Ghost Story que vi alguns dias depois não fica atrás. Assisti Baby Driver recentemente e foi uma surpresa gostosa demais porque não esperava me prender tanto ou ter uma crush no Ansel Elgort que sempre achei sem sal. Assisti It no cinema e recomendo a todos, inclusive a quem não gosta de filme de terror, e The Beguiled também, mas por mais que tenha gostado acho que preciso assistir de novo, mas é lindo né? Sofia Coppola tem um senso estético maravilhoso, mas fico meio desconfortável com ela ter ignorado a única personagem negra falando que “não sabe como portar personagens negra na trama” e excluindo uma narrativa super importante da história. Vale comentar de Dunkirk com o meu noivo Harry Styles e a bela surpresa que foi o filme. O último filme que vi foi Mate-me Por Favor, um thriller brasileiro, que conta a história de uma menina e de suas amigas lidando com um serial killer a solta e como isso reflete na vida delas. Nunca imaginei que a Barra da Tijuca pudesse ficar tão assustadora e visualmente o filme é lindo. Ainda conta com uma mulher na direção então vale duas vezes a recomendação.

#Livros: Infelizmente, nem tudo são flores e já sei que vou ter um grande fail na minha meta de ler 25 livros esse ano. Li poucos (cerca de 15), mas li livros muito bons. Terminei The Handmaid’s Tale para poder ver a série e engatei uma leitura mais tranquila, pois precisava, com Always and Forever, Lara Jean, o terceiro e último livro dessa história fofa de YA, da Jenny Han. Me apaixonei por Americanah da Chimamanda Ngozi Adichie e tive uma dificuldade em ler We Were Liars, da E. Lockhart, um young aduItcheio de mistério e bem interessante, mas uma das protagonistas tinha o nome da minha ex então cada capitulo era um parto pela lembrança. Recomendo mesmo assim e queria continuação. Tive uma grande dificuldade em terminar Tu Não Me Moves de Ti da Hilda Hilst devido a: pedofilia. Seguirei com outros títulos dela pois amor eterno por Hilda. Atualmente eu e minha melhor amiga decidimos reler Harry Potter e a Pedra Filosofal e, a parte, estou relendo Os Homens que Não Amavam As Mulheres do Stieg Larsson. Eu amo fortemente esses livros, porém não vou levar nenhum pra viagem já que acho que praia e férias não combina com livros tão pesados como os da trilogia Millenium.

#Podcasts: Desde o ano passado entrei no fantástico mundo dos podcasts e não consigo mais ir pro trabalho ouvindo outra coisa. Voltar dá sim porque coloco uma música e dou uma bela cochilada Viciada em recomendações que sou fui pegando todas as dicas possíveis na internet e hoje assino mais podcasts do que um dia poderei ouvir, mas tem alguns que escuto o tempo inteiro. O Cinema Na Varanda é um dos poucos podcasts de filmes, em português, que consigo escutar. Infelizmente é feito por homens brancos héteros, mas com o tempo você consegue superar isso e começa a gostar deles. Ainda sinto falta de um podcast de minas pra isso, e até cogitei fazer um, mas voltando ao assunto… A primeira temporada do Never Before with Janet Mock terminou e foi excelente: Kris Jenner, Mama Knowles, Gabourey Sidibe, entre outras entrevistadas. O Appointmet Television e o Pop Culture Happy Hour são os que me informam de séries de televisão e amo incondicionalmente. Tô viciadíssima no You Must Remember This que fala sobre casos e acontecimentos da antiga Hollywood, mas atualmente quem tem tomado conta do meu coração é o Alice Isn’t Dead. A história é sobre uma menina que vai atrás da esposa desaparecida dirigindo um caminhão e no meio do caminho encontra seres não tão humanos assim, cidades perdidas no tempo, entre outras coisas que aos poucos começam a se interligar e fazer sentido e você fica de boca aberta. Quantas vezes fiquei com cara de chocada no ônibus ouvindo esses episódios? Nem sei mais.

Acho que esse post tem mais conteúdo do que previ inicialmente. Imagina se eu não tivesse tentando me conter ao que consumi nos últimos dois meses, mas prometo que volto com menos recomendações na próxima vez e elaboro um pouco mais sobre cada uma. Aceito dicas, aliás. O que vocês tem pra me recomendar? 🙂

Ilustração: Günseli Sepici

Share: