Já estamos no terceiro mês do ano e felizmente, pela primeira vez na vida, estou conseguindo organizar a minha vida. Estou conseguindo manter um planner das atividades semanas que quero/preciso fazer e por mais que nem sempre consiga cumprir todas já consegui riscar muitas coisas da minha listinha. Grande parte delas burocrática, mas ainda assim é um alívio imenso saber que você precisa pagar aquelas coisas, marcar aquele médico, não deixar pro último dia algum perrengue da vida adulta e se sentir um pouco mais responsável e organizada. Tem dado certo e acima de tudo, me feito me sentir muito bem porque realmente não encaro como uma pressão, mas como uma ajuda para deixar meus dias mais simples e atingir minhas metas aos poucos sem me desgastar com falta de planejamento.

Pois bem, esse ano decidi, inspirada na miga Isa,que vou tentar planejar os livros que lerei esse ano. Nunca fiz isso. Sempre fui uma mood reader convicta, mas percebi que acabava ficando nos dois ou três gêneros que mais gosto. Por mais que isso fosse reconfortante minha lista de livros só aumentava, inclusive interesse sobre outras áreas, mas a de leitura continuava sem muita variedade. Decidi então ir no meu Goodreads e ver todos os livros que estavam lá. Separei 20. Minha meta é ler todos esses até o final do ano, mas como vocês já sabem: sem pressão. A intenção é ler gêneros que não tenho tanto conhecimento (históricos, literatura de outros países saindo do eixo Estados Unidos – Inglaterra) e também finalmente dedicar um tempo aos que me interessam a muito tempo (literatura brasileira, lgbt+ e mulheres, se possível, de cor). Tentei dar uma balanceada e esse post vai ser um lembrete pra quando quiser ver qual vai ser meu próximo livro e tirar um daqui.

  1. Call Me By Your Name do André Aciman: preciso explicar? bom, fiquei apaixonada pelo filme assim como todo mundo e faz um belíssimo tempo que não leio um romance que pegue meu coração e o destrua por completo. estou precisando de um desses urgentemente.
  2. O Segundo Sexo da Simone de Beauvoir: tem livros feministas muito básicos que nunca li, mas decidi que agora já deu e esse vai ser um dos livros que ensaio para ler nos últimos anos e acabo nunca pegando por querer algo mais leve. não quero nada mais leve. quero novamente ser impactada.
  3. Blue Lilly Lilly Blue (Raven Cycle #3) da Maggie Stiefvater: raven cycle foi uma série de livros que uns dois anos atrás todo mundo morreu de amores. achava que não íamos nos dar muito bem e para minha surpresa fui completamente puxada pela escrita da maggie, mas a série terminou e não li os dois últimos livros. resolvi mudar isso esse ano lendo o terceiro, e se meu cronograma abrir um espacinho, o quarto também.
  4. As águas Vivas Não Sabem de Si da Aline Valek: acompanho a aline na internet já tem alguns anos por newsletter/twitter e sou apaixonada por como seus textos fluem e me levam a questionamentos simples, mas que passam despercebidos muitas vezes. prestigiar um talento desses e ainda ler uma autora brasileira só é um combo de puro amor.
  5. Um Útero é do Tamanho de um Punho da Angélica Freitas: queria ter lido ainda ano passado e, sem duvidas, entre todos da lista é um dos que mais quero ler. por algum motivo tenho uma ansiedade a ler esse livro e sinto como se o amasse mesmo sem conhecê-lo. o fato da angélica ser uma autora assumidamente lésbica só fortalece minha conexão com ela e sua obra.
  6. My Briliant Friend da Elena Ferrante: cheguei tarde na febre ferrante? cheguei sim. isso me impede de começar? de forma alguma.
  7. Bluets da Maggie Nelson: tô namorando esse livro tem muito tempo. já faz um tempo que percebi que poesia tem um espaço no meu coração que eu não conhecia, e uma das autoras que mais tem me feito querer conhecer a obra é a maggie. provavelmente vai ser um dos primeiros da lista a serem lidos porque a ansiedade é real, pessoas.
  8. Milk and Honey da Rupi Kaur: eu gosto da rupi. sei que algumas pessoas odeiam por ser uma poesia comercial demais, fácil demais, boba demais, mas às vezes é só o que a gente precisa.
  9. Take Care of Yourself da Sophie Calle: seguindo o tema de self care esse livro fala sobre as diversas interpretações de um mesmo término. o motivo da escolha é que tem livros que eu preciso ler só pra me fazer pensar em coisas que eu talvez não queira pensar, mas usar isso pra evoluir. sem contar que a menos que o livro seja muito ruim, você sempre aprende alguma coisinha e termina se sentindo melhor.
  10. We Are Okay da Nina Lacour: estava faltando um pouco de young aduItaqui nessa lista e ainda tendo um relacionamento lésbica na história. li muitos comentários, de pessoas que tem opiniões parecidas com a minha e/ou confio no gosto, falando bem.

  1. Dois Irmãos do Milton Hatum: é uma vergonha ter crescido minha vida inteira em manaus e não ter lido uma obra sequer do maior escritor vindo de lá. vamos fingir que ninguém sabe que demorei tanto pra ler esse livro.
  2. Just Kids da Patti Smith: é um combo perfeito: livro que queria ter lido anos atrás + escritora mulher + pontos interessantes sobre a vida e muita coisa para inspirar/aprender.
  3. The Interestings da Meg Wolitzer: esse é o próximo a ser lido. comprei início do ano ansiosa porque estava para ler o ano passado inteiro. se essa lista não der certo, pelo menos, sabemos que esse vai dar como lido.
  4. Fingersmith da Sarah Waters: como disse ali em cima, e já citei nessa lista, meu foco em livros LGBT+ é uma das prioridades esse ano, mas acima de tudo, livros sobre mulheres lésbicas. principalmente, se envolve uma história e um romance. às vezes no final do dia é tudo o que a gente precisa.
  5. The Girls: Sappho Goes to Hollywood da Diana McLeann: lésbicas + hollywood = conta comigo
  6. With Teeth da Zadie Smith: continuando a saga de livros que namoro a mais de anos e preciso ler, esse é um deles, aliás, eu simpatizo com a zadie smith sem ter lido um livro dela. a gente tem que começar em algum lugar né?
  7. Bad Feminist da Roxane Gay: se você for ver indicações de livros sobre feminismo 101 é bem provável que junto com o segundo sexo, já citado como primeiro item da lista, algum livro da roxane gay vai estar entre eles. decidi escolher o mais conhecido e lá vamos nós.
  8. All The Bright Places da Jennifer Niven: é um young adult, mas não tem nada de muito feliz, é bem triste pelo que eu lembro da premissa e poucas coisas que deixam mais feliz do que livros tristes (tenho problemas?)
  9. Wytches do Scott Snyder: desde que comecei a estudar tarot meu interesse por misticismo e consequentemente, magia e bruxas triplicou. esse é um dos livros que estou mais ansiosa pra ler esse ano porque bruxas é um lado tão importante da mulher, algumas que nem mesmo eram mas sofreram como se fossem, e da nossa história que sinto que temos que saber pelo menos o básico.
  10. The Girls da Emma Clyne: por algum motivo acho que esse livro não vai ser muito bom, de verdade, mas acho a história de meninas nos anos 60 atraídas por um culto, esse negócio meio charles manson, é impossível não querer ler. exatamente o tipo de filme ruim que iria me atrair completamente.
  11. The Princess Saves Herlself In This One da Amanda Lovelace: por último, mais uma coleção de poesias que fala sobre amor, perda, inspiração e etc.

Honestamente, não faço ideia de vou conseguir ler todos esse ano, mas vou tentar. De verdade. O que complica é que além disso estou relendo Harry Potter, no momento começando a Ordem de Fênix, e comprometida com o Greta Gerwig Book Club, mas não custa tentar, né? Agora que vocês já sabem o que quero ler esse ano, aceito recomendações de livros e/ou que vocês me contem o que estão lendo agora e planejam ler. 

Share: