E chega aqui a última e muito atrasada parte sobre a viagem a Buenos Aires no final de junho. 🙂
Nesse último post o que temos mais é quase que um álbum de grande parte das minhas fotos preferidas da viagem. Os lugares que eu mais gostei e me apaixonei na cidade foram, por coincidência, os que deixei pra visitar por último. Com exceção de sábado a noite, em que fomos para o tango por causa do sonho do meu padrasto de ver um tango argentino ao vivo. Ele acabou escolhendo o Señor Tango que é conhecido por ser uma atração boa pra turista mesmo: um palco bem grande, nenhum pouco íntimo, uma platéia imensa, vários cenários, trocas de roupas, dramas exagerados e até um cavalo entrando no palco. Pra mim que não conhecia muito, foi um show e tanto. O local é lindo demais, mas é uma pena que não possa tirar fotos da apresentação. A parte boa é que além do show ainda contamos com um jantar, mas que acaba sendo bastante sem graça.

No domingo, mesmo friozinho, fomos visitar o Jardín Japonés de Buenos Aires e acabei me apaixonando pelo lugar. Esqueça frio, esqueça o tempo, esquece tudo. Você vai pra um lugar no meio da cidade que vai ter dar paz, te fazer querer passar  a vida inteira próxima a natureza e simplesmente ficar ali parada admirando as coisas lindas à sua volta. Como era inverno, o parque não estava muito lotado e foi super agradável de passear. Não acho que eu vá visitar o Japão tão cedo então assim consegui tirar um pedacinho de como seria estar lá. Meio que uma visita dois em um, né?

Como no domingo acabamos passando o resto do dia comprando coisas, não conseguimos visitar outros lugares da listinha, mas fizemos a mãe feliz. Um dos pontos turísticos que eu mais queria ir era, como todo mundo que já foi a Buenos Aires, ao El Ateneo. Já tinha ouvido falar que a livraria em si não era boa, que era uma grande Saraiva, outros falaram que era sensacional, tinha de tudo e ao meu ver, é meio a meio. Vale a pena olhar esse lugar lindíssimo e definitivamente, a livraria/biblioteca mais linda que já vi com os meus olhos. Mesmo sendo tão enorme acho que o acervo podia ser melhor e ter menos partes de DVD’s (quem ainda compra isso? Bluray, oi?) e CD’s pra ter mais livros. E falando em livros, às vezes eles acabavam ficando bem dessarrumadinhos, mas como não fui lá atrás de nada específico, saí super apaixonada pelo local.

Buenos Aires é uma cidade tão apaixonante, cheia de gente simpática e todos os tipos de programas. É uma pena ter visitado a cidade no inverno e mais ainda em só ter passado somente quatro dias. A minha sorte é que ela não é tão longe de nós brasileiros, então, uma segunda visita vai acontecer em um futuro bem próximo, se depender de mim.

Você pode ler os outros posts sobre a viagem a Buenos Aires aqui, aqui e aqui. E qualquer dúvida, recomendação, opinião ou o que for, é só falar nos comentários.

Share: